A Origem do Surf

surf_1

O Surfe, Surf ou, ainda, Surfing (dos termos ingleses surf e surfing), é uma prática desportiva efetuada na superfície da água, freqüentemente considerada parte do grupo de atividades denominadas esportes de aventura, cuja proficiência é verificada pelo grau de dificuldade dos movimentos executados pelo surfista ao deslizar em pé na prancha de surfe, aproveitando a onda que quebra quando se aproxima da praia ou costa. 

A palavra Surf ainda pode ser encontrada como som da arrebentação das ondas.

As boas ondas para a prática do surfe são normalmente encontradas no oceano, mas, por vezes são encontradas também em lagosrios e piscinas de ondas.

Existem algumas variações da modalidade baseadas no tamanho das pranchas, como, Shortboard, Longboard, Bodyboard, Bodysurf, Skimboard e Kneeboard. O Stand-up Paddle representa o outro lado do surf, pouco conhecido, sendo citado por pesquisadores historicamente na civilização peruana através do caballito de totora.

kite surf e windsurf, dependem exclusivamente da força do vento.

No surf o surfista pode ter duas bases em cima da prancha, goofy (pé esquerdo atrás) ou regular (pé direito atrás). Onde o pé de trás será à base de toda manobra.

Existem duas divisões no surfe em pé: longboarding, shortboarding, refletindo diferenças na construção da prancha, tamanho, design para cada tipo de onda.

No tow-in surfing (que deveria exclusivamente, ser associado ao surfe de ondas grandes), um barco motorizado, como um jet-ski, reboca o surfista para frente da onda, ajudando para que a velocidade dele equivale a da onda, que, geralmente é uma velocidade mais alta que um surfista a remar pode conseguir.

A cultura do surfe abrange várias entidades como escolas de surf, escolas de socorro e salvamento, surf camps, e na produção de mídia.

Em 2011, o livro The Guinness Book of World Records reconheceu uma onda de 31 metros surfada por Garret MacNamara no Canhão da NazaréPortugal, como a maior onda alguma vez surfada.

Surf_2

História

A origem do surfe é disputada entre os povos peruanos e polinésios. A prática de deslizar sobre as ondas há muito tempo já era conhecida pelos povos polinésios, que povoaram grande parte das ilhas do Oceano Pacífico, além do litoral pacífico das Américas. Os primeiros relatos do surfe dizem que este foi introduzido no Havaí pelo rei polinésio Tahíto. Outros relatos dão conta de que, muito antes dos havaianos, antigos povos peruanos já se utilizavam de uma espécie de canoa confeccionada de junco para deslizar sobre as ondas. O primeiro relato escrito da observação de pessoas a fazerem surf, foi feito pelo navegador Inglês James Cook que gostou do esporte por se tratar de uma forma de relaxamento.

Utilizavam-se, inicialmente, no Hawaii pranchas de madeira denominada Alaia e, no Peru, de junco. As pranchas eram fabricadas pelos próprios usuários. Acreditava-se que, ao fabricar sua própria prancha, se transmitiam todas as energias positivas para ela e, ao se praticar o esporte, se libertava das “energias negativas”. Os primeiros praticantes desse esporte acreditavam que sua prática seria um culto ao espírito do mar. O reconhecimento mundial do esporte veio com o campeão olímpico de natação e pai do surfe moderno, o havaiano Duke Paoa Kahanamoku. Ao ganhar a medalha de ouro nos jogos olímpicos de 1912, em Estocolmo, o atleta disse em entrevista que o seu treino se resumia em “cavalgar sobre as ondas com uma tábua de madeira” e, desse modo, passou a ser o maior divulgador do esporte no mundo. Com isso, o arquipélago do Havaí e os seus esportes típicos passaram a ser reconhecidos internacionalmente.

No início do século XX, Duke promoveu o surfe, iniciando demonstrações noutras regiões do mundo como a Califórnia, França, Austrália, América do Sul e África. Por volta da década de 1940, o esporte popularizou-se na costa oeste dos Estados Unidos, tornando-se popular entre os jovens, principalmente nas praias do sul da Califórnia. Então, com o início dos primeiros campeonatos de surfe em 1974, o surfe tornou-se popular em todo o mundo, no início de um emergente profissionalismo. A evolução do surfe moderno foi especialmente marcado pela apresentação de novos modelos de pranchas de surfe, como a prancha twin-fin de Mark Richards em 1980 e, depois, pela prancha tri-fin de Simon Anderson em 1981. Esses Australianos tornaram esse país o detentor do maior número de campeões mundiais de surfe. A organização do campeonato mundial é responsabilidade da Associação de Surfistas Profissionais. Pode-se afirmar que o surfista mais conhecido do mundo é o Floridense Kelly Slater, que soma 11 títulos mundiais.

surf_3

No Brasil

No Brasil, as primeiras pranchas, então chamadas de “tábuas havaianas”, chegaram pelas mãos de turistas e funcionários de companhias aéreas. Sabe-se que, no Brasil, o esporte foi desenvolvido e começado em Santos, com nomes como Thomas Ernest Rittscher JúniorMargot RittscherOsmar Gonçalves e João Roberto Suplicy Hafers. Thomas Ernest Rittscher, americano, trouxe dos Estados Unidos, uma revista chamada Popular Mechanic. Um dos artigos ensinava como se fazer uma prancha. Foi o que Thomas fez e posteriormente ajudou os amigos a produzirem suas “tábuas havaianas”, a prancha tinha 3,60 metros e pesava oitenta quilogramas.

Em 1952, um grupo de cariocas, liderados por Paulo PreguiçaJorge Paulo Lehman e Irencyr Beltrão, começou a descer as ondas em Copacabana, com pranchas de madeirite. O esporte começava a popularizar-se. As primeiras pranchas de fibra de vidro, importadas da Califórnia, só chegaram ao Brasil em 1964.

Em 15 de Julho de 1965, foi fundada a primeira entidade de surfe do país – a Associação de Surfe do Estado do Rio de Janeiro. Esta organizou o primeiro campeonato em Outubro daquele ano. No entanto, o surfe só seria reconhecido como esporte pelo Conselho Nacional de Desportos em 1988. Em 1989, o shaper carioca Henry Lelot e amigos fundaram a “Federação de Surfe do Estado do Rio de Janeiro” – na época, a segunda federação de surfe do Brasil. Atualmente, as entidades responsáveis pela organização no esporte no Brasil são a “Confederação Brasileira de Surfe” – filiada ao Comitê Olímpico Brasileiro e, há anos, presidida pelo paranaense Juca de Barros, e a “Associação Brasileira dos Surfistas Profissionais”, sendo que o campeonato nacional denominado “Circuito Super Surfe“.

Muitos recursos são utilizados para saber como estão as ondas, especialmente a internet , onde o surfista pode conferir, ao vivo, através de sites especializados, as condições das ondas através das câmeras nas praias.

Pode-se, também, conferir os mapas e gráficos de previsão de ondas para se programar uma viagem para a prática do surfe, garantindo, assim, que a viagem seja proveitosa. Este recurso só foi possível com o advento da Internet, no final do século XX. Antes disso, os surfistas faziam as suas viagens para surfar freqüentemente sem saber como estavam as condições do mar, muitas vezes se deparando com condições adversas à prática do surfe. Outras vezes, os surfistas permaneciam por longos períodos nas praias de surfe, para poder, assim, esperar pelas condições favoráveis à prática do surfe. Desta forma, porém, muitas vezes não podiam realizar outras atividades, como trabalhar ou estudar. Assim, o surfista tinha a sua imagem, muitas vezes, associada à de um desocupado, um vagabundo.

Com o advento da previsão das ondas, abriu-se um novo horizonte para a prática do esporte, fazendo com que o surfista pudesse programar a sua vida, tornando, assim, a sua viagem muito mais proveitosa, pois ele passou a poder realizar outras atividades úteis durante o período de espera das ondas. Pode-se afirmar que, com o tempo, a associação da prática do surfe com a vagabundagem vai desaparecendo.

Surf

Anúncios

Skate e Skateboarding:

Skate, ou Skateboarding, é um esporte de origem norte-americana de meados do século XX. Pode ser praticado tanto por homens quanto mulheres. Como modalidade esportiva, e também como prática recreativa, o espaço adequado são pistas que possuem trechos de elevações para que sejam executadas as manobras. Tais pistas são comumente encontradas em meios urbanos e nelas, muitas vezes, são feitas disputas formais.

Apesar de haver variações nas formas como se pratica essa modalidade, um dos objetivos principais tem base na criatividade e no grau de dificuldade com que certos movimentos são feitos pelo participante quando ele está sobre um skate. Um dos principais eventos de skate no país é o Circuito Brasileiro de Skate Profissional e a entidade nacional responsável pela manutenção e promoção de eventos formais relacionados a esse esporte é a CBSk, Confederação Brasileira de Skate.

Skate

Os equipamentos do Skate:

O objeto que torna possível a prática desse esporte leva o mesmo nome: skate. Consiste basicamente numa prancha com quatro rodas que permitem o deslocamento do participante. Além disso, são usados também equipamentos que garantem a proteção e a integridade física do participante. O skate é formado por oito partes, sendo elas:

  • Amortecedores: São colocados entre a mesa e os trucks e têm função de amenizar o impacto de certos movimentos. São colocados quatro em um skate.
  • Mesa: Também conhecida como base, é a peça em que são encaixados os eixos do skate.
  • Rodas: São quatro por skate. Permitem o deslocamento do participante.
  • Shape: É a tábua, que é usada como base para as manobras.
  • Trucks: São os eixos do skate. Nele são encaixados as rodas e os rolamentos.

As modalidades do Skate:

As diferentes modalidades de Skateboarding consistem no ambiente em que são praticados e nas formas como as manobras são realizadas. Alguns dos mais comuns são:

  • Big Air
  • Free Style
  • Half-Pipe
  • Pool Riding
  • Street

Aprenda a fazer manobras do Skate:

Manobras-Skate

Frases de Skate

  • A força de vontade vence todas as dificuldades tanto na vida como no skate.
  • A partir do momento em que você pára de fazer o que gosta você pára de viver. Por isso sou Skatista!
  • Alguns têm o dom do skateboarding, outros têm vontade. Se você não tem o dom, faça como eu: corra atrás, tenha vontade!
  • Amizade, humildade e força de vontade é  tudo o que mais importa no Skate.
  • Andar de skate é bater palmas para o amigo que aprendeu a pular um skate de ollie e gritar quando alguém dropa de uma mini ramp pela primeira vez!
  • Andar de skate é tomar impulso, atravessar a rua, subir e descer as calçadas, dropar de um lugar alto, improvisar, equilibrar, saber cair e depois levantar!
  • Andar de skate é ver o mundo de verdade, ver a rua com mendigos e sujeira, conhecer lugares novos, pessoas diferentes, aprender a lidar com a diversidade. Skate É diversidade.
  • Ande de skate, mas não deixe nunca de estudar, pois o estudo é um escudo para a vida.
  • É consertar o erro a tempo, prestar atenção ao que vem a sua frente, seja um cooping ou uma pedra na rua. É prever a distância e a velocidade necessária.
  • É marcar uma sessão, combinar uma viagem, conhecer novas pistas, rever os amigos nos campeonatos, pegar carona, estar em contato direto com o mundo!
  • É não se importar se o colega de session é branco ou negro, pobre ou rico: é entender que todos somos humanos e todos somos irmãos.
  • É ter amigos que falam a mesma língua, choram e riem pelos mesmos motivos, têm os mesmos ídolos, falam as mesmas besteiras.
  • Mais importante do que ter resultados positivos ou negativos num campeonato o que importa é ter prazer em andar de skate.
  • Pai Nosso dos Skatistas: Pai nosso que está no céu; Santificado seja o nosso Skate; Venha a nossa pista de Skate; Sejam feitas nossas manobras; Assim no Street como no Vertical; As manobras de cada dia e as que nos dai hoje; Perdoai os nossos palavrões; Assim como nós perdoamos aqueles que nos reprimem; Não nos deixais cair no chão; E livrai-nos dos shapes quebrados; Em nome do shape, do truck, dos rolamentos e das rodinhas, Skate!
  • Para ser um bom skatista: muita humildade, muita prática, sempre.
  • Quando subo em cima de um sk8 esqueço do resto do mundo, só o sk8 e os amigos importam!
  • Respeite o skate, respeite os amigos mais velhos e mais novos, respeite-se a si mesmo. Skate é respeito e humildade acima de tudo.
  • Ser skatista é convidar os amigos para um Jam, descobrir novas pistas, aprender novas manobras!
  • Skate é a arte de expressar os sentimentos através do corpo e dos pés!
  • Skate é aplaudir o amigo que faz um 360º pela primeira vez, mesmo que nunca tenhamos conseguido fazer um!
  • Skate é arte e cair faz parte.
  • Skate é arte, cair parte. (lol!)
  • Skate é brincar com um shape, dois eixos, oito rolamentos e quatro rodas. Jogá-lo para cima, deixar cair no chão e torcer para que não saia nenhuma lasca.
  • Skate é coragem, é força de vontade, é a expressão livre do corpo, quase sem limites, sem regras, sem padrões!
  • Skate é ter uma guitarra na mão… um skate no chão… e Avril Lavigne no coração!
  • Skate para viver, skate até morrer!
  • Skatistas são irmãos de pais diferentes.
  • Skatistas: Somos poucos, mas somos loucos!
  • Triste não é a morte. Triste é a vida sem saber o que é andar de skt.
  • Vida longa ao Skate, um Skatista de verdade jamais morrerá!
  • A emoção do skate é aterrar sobre os parafusos, olhar para trás e ver que encaixou um heelflip bigspin inesquecível!
  • Anda de Skate é esquecer do mundo dando asas à imaginação, é viajar a universos paralelos.
  • Andar de skate é aprender a conviver com os outros, é dar um sentido a vida procurando um novo objetivo.
  • Andar de skate é bater palmas para alguém que acabou de aprender uma manobra nova, é dar a mão para um amigo que caiu e incentivá-lo a tentar de novo.
  • Andar de skate é bater palmas para o amigo que aprendeu a pular um skate de ollie e gritar quando alguém dropa de uma mini ramp pela primeira vez.
  • Andar de skate é expandir a mente e crescer como pessoa.
  • Andar de skate é ver o mundo de verdade, ver a rua com mendigos e sujeira, viajar, conhecer lugares novos, pessoas diferentes, aprender a lidar com a diversidade.
  • É a emoção de aprender uma manobra nova, é a primeira vez que acerta um Backside, é quando consegue dar o primeiro ollie.
  • É brincar com um shape, dois eixos, oito rolamentos e quatro rodas. Jogá-lo para cima, deixar cair no chão e torcer para que não saia nenhuma lasca.
  • É consertar o erro a tempo, prestar atenção ao que vem a sua frente, seja um cooping ou uma pedra na rua. É prever a distância e a velocidade necessária.
  • É marcar a sessão, combinar uma viagem para conhecer novas pistas, ré ever os amigos nos campeonatos.
  • É ter amigos que falam a mesma língua, choram e riem pelos mesmos motivos, têm os mesmos ídolos, e falam as mesmas besteiras…
  • Skate é a arte de expressar os sentimentos e emoções com o skateboard nos pés.
  • Skate é a sede na garganta e o suor na camisa balançando como uma bandeira quando você manda um ollie.
  • Skate é coragem, força de vontade, é a expressão livre do corpo, quase sem limites, sem regras, sem padrões.
  • Skate é não se importar se o colega de sessão é branco ou negro, pobre ou rico, nordestino ou gaúcho: é entender que todos são humanos.
  • Skate é pegar impulso e ouvir o estalo do skate batendo no chão.
  • Skate é ter uma guitarra na mão, o skate no chão, e a Avril Lavigne no coração.
  • Subir em um skate, esquecer do resto do mundo, Skate é união, diversão, e amizade em primeiro lugar.
  • Andar de skate é tomar impulso, é atravessar a rua, subir e descer as calçadas, dropar de um lugar alto, improvisar, equilibrar, saber cair e depois levantar.

Mensagem 5